Segundo teste de DNA, "Jack, o Estripador" era barbeiro polonês

Pesquisadores ingleses alegam ter descoberto a identidade de Jack, o Estripador 126 anos após a morte de 5 mulheres inglesas, no distrito londrino de Whitechapel no final de 1888. De acordo com exames de DNA, o criminoso foi identificado como Aaron Kosminski, um barbeiro judeu vindo da Polônia, segundo informações do jornal britânico Daily Mail.Um xale encontrado ao lado de Catherine Eddowes, uma das cinco vítimas do barbeiro polonês, possibilitou a identificação do matador em série, responsável pelo assassinato de cinco prostitutas em Londres. A vestimenta foi comprada por Russell Edwards em um leilão em 2007 e foi analisada por três anos e meio pelo perito Jari Louhelainen, especialista em biologia molecular.

Os dados foram cruzados com as anotações de Donald Swanson, policial responsável pelo caso em 1888. Entre os seis suspeitos estava um homem polonês de baixa classe chamado Kosminski. Para obter a resposta, os analistas cruzaram os dados biológicos no xale, guardado pelo policial para a esposa dele, com o DNA dos descendentes dos seis suspeitos e da vítima, explica o Daily Mail.

Edwards resolveu investigar a história de vida de Kosminski. O barbeiro fugiu da Polônia por conta de uma onda de antissemitismo no Leste Europeu.Segundo as anotações policiais, ele tinha “ódio de mulheres e tendências homicidas”. Sem ser descoberto por seus crimes, Kosminnski acabou morrendo em um manicômio em 1899. A história será contada no livro “Identificando Jack”.

Fonte site jornal britânico Daily Mail

Nenhum comentário:

Postar um comentário